Home » Pratos de Peixe » Outros Peixes » Caldeirada Rica


Dezembro 29, 2010 | Visitas: 6
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem votos)
Loading...
Caldeirada Rica
Autor: 
 

Ingredientes
  • Para 10 a 12 pessoas
  • •7 a 10 kg de peixes que deverão fazer parte: tamboril e safio (obrigatoriamente), pata roxa, tremelga, cação (2ª prioridade), ruivo e raia (3ª prioridade), cherne, robalo e corvina (sempre bem aceites)
  • •5 sardinhas
  • •1 camada de amêijoas (400 g a 500 g), não incluir lulas
  • •4 kg de tomate maduro
  • •2,5 kg de cebolas
  • •1 pimento e meio (verde)
  • •2 dl de azeite
  • •piripiri (de infusão em uísque ou gin)
  • •1 cálice de vinho do Porto
  • •sal
  • •125 g de massa de cotevelinho

Preparacao
  1. Amanham-se os peixes de acordo com as respectivas espécies.
  2. Do safio aproveita-se a parte da barriga para cima, incluindo a cabeça.
  3. Reservam-se apenas os fígados do tamboril e do cação.
  4. Lavam-se impecavelmente as amêijoas, que só se utilizam se o tacho não for muito espesso.
  5. Estas servem para impedir que a caldeirada agarre ao fundo do tacho.
  6. Cortam-se os peixes em postas grandes e grossas (exceptuando as sardinhas).
  7. Polvilham-se com sal grosso.
  8. Cortam-se separadamente as cebolas, o tomate e o pimento às rodelas finas.
  9. Deita-se um pouco de azeite no fundo do tacho e as amêijoas, se este não for espesso.
  10. Introduzem-se todas as cebolas às rodelas, formando uma camada.
  11. Rega-se com um fio de azeite e tempera-se com um pouco de sal e algumas gotas de piripiri.
  12. Por cima dispõe-se o tomate (todo) também às rodelas.
  13. rega-se igualmente com um fio de azeite, polvilha-se ligeiramente com sal e algumas gotas de piripiri.
  14. Agita-se o peixe e começa a introduzir-se no tacho devendo os espécies mais duras entrar em primeiro lugar (tamboril, pata-roxa, tremelga, cação), depois o safio.
  15. Por cima deverão ficar as espécies mais nobres e mais frágeis.
  16. Cada camada de peixe (cada espécie forma uma camada) deverá ser regada com um fio de azeite e temperada com um pouco de sal e piripiri.
  17. Introduzem-se os fígados e dispõe-se as sardinhas em estrela.
  18. Sobre o total ficarão as rodelas de pimento.
  19. Rega-se com o vinho do Porto, tapa-se o tacho e leva-se a lume brando.
  20. O lume deverá manter-se brando, admitindo-se, numa urgência, aumentar a intensidade do calor a partir da fervura.
  21. A caldeirada está cozida, logo que o pimento o esteja.
  22. Prova-se a caldeirada, tendo em conta a influência do olfacto sobre o paladar.
  23. Se, ao provar a caldeirada, esta nos parecer boa, deve fazer-se um buraco na caldeirada com o cabo da colher de pau e deitar aí um pouco mais de sal e de piripiri.
  24. Estando cozida a caldeirada, deixa-se apurar, ao mesmo tempo que se retiram algumas conchas do caldo (da caldeirada) para uma panela.
  25. Junta-se um pouco de água a este caldo, leva-se ao lume e quando ferver adiciona-se a massa que se deixa cozer enquanto se serve a caldeirada.
  26. A sopa come-se, como remate, em tigelinhas de barro.
  27. *A caldeirada deve ser servida pela pessoa que a fez e que a retirará na vertical para que todos comam de todas as espécies de peixe.
  28. As sardinhas não se comem.
  29. *Esta excelente caldeirada tem grande renome em Lisboa e é seu autor o homem do râguebi – Duarte Leal.

© 2006-2017 Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Contacto: maisreceitas@gmail.com